quarta-feira, 26 de junho de 2013

O dia em que eu mandei um homem se calar.

O Brasil está nesse clima de manifestação popular e finalmente, eu saí do meu torpor e entrei na luta. Pode até parecer ir com a maré, mas algo mudou dentro de mim que eu não consegui explicar.
Na minha cidade, a manifestação foi em um fim de semana, mais precisamente em um sábado de manhã. Estava frio, meio chovendo, mas valeu a pena. Se bem que nem foi tão sofrido assim.
Saí de lá diferente, pode até parecer deslumbre, mas eu senti que algo havia reverberado. Tenho uma amiga que diz que até mexer com gavetas pode mudar a nossa forma de ver o mundo, então, por que um passo além da apatia não pode?

A conclusão chegou na segunda-feira. Um curso com funcionários públicos, classe a qual pertenço, mais por necessidade do que por qualquer coisa, mas digamos que eu faço o que eu gosto.

Em um desses cursos sempre ocorrem discussões sobre temas polêmicos e tem 10 mulheres para cada homem e incrivelmente eles conseguem monopolizar a palavra. Tudo bem

O tema era homossexualidade e como eu tenho vários amigos gays, eu não permitiria que tal pessoa os ofendesse dizendo que é possível respeitar discordando.

Primeiro: quem sou eu pra discordar com quem a pessoa se relaciona ou não? Paga as minhas contas? Eu pago as contas dela? Os heterossexuais tinham que achar mais coisas para fazer, não é?

Segundo: vem dizer que as pessoas fazem porque querem e é muita sem vergonhice. Discurso pautado na culpa judaico-cristã. Péssimo

Tentei ter a palavra e claro, o homofóbico machistinha que não acredita na representação de gênero não permitiu que eu falasse. Me interrompia. E eu fiz algo que nunca fiz na minha vida: Mandei ele calar a boca. Mandei um "xiu, estou falando." Eu! Renata Dias, a rainha do apaziguamento, mandei um homem se calar! Isso parece estupidez, mas pra mim, foi um passo a mais rumo ao movimento.
Mandei ele se calar e isso foi como se eu mandasse todos os homens se calarem porque a mulher aqui tem algo a dizer. Funcionou? Ele se indignou. Não era bem o que eu queria, mas deu certo. Polemizei. Mudei.


3 comentários:

Isabel C. Oliveira Azevedo disse...

É isso aí,garota! Adorei...Rs...

Isabel C. Oliveira Azevedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ivana Maria Bortolin Santos disse...

EEEE..Ae está a Renata que eu conheço e admiro....Valeu amiga....